Tatuagens e piercing são perigosos para diabetes?

Há muitas relacionadas a aplicação de piercings e tatuagens, especialmente quando se trata de pessoas diabéticas. Afinal, este público pode fazer as duas coisas?

Há quem diga que pessoas que sofrem de diabetes não podem ter piercings ou fazer tatuagens, mas a grande verdade é que isso é puro mito. Os riscos dos diabéticos de contrair uma infecção ou qualquer outra complicação por conta de tatuagens e piercings são iguais ao das demais pessoas. Ou seja, todos nós estamos sujeitos às complicações posteriores.

Todavia, se o quadro de complicação submergir um envolvimento nos vasos da microcirculação, a infecção poderia ser muito maior. É importante frisar que esta situação pode demorar a acontecer. Ou seja, o problema poderia afetar indivíduos com a doença má controlada por um período maior.

Como dito, qualquer pessoa, seja diabética ou não, está sujeita a sofrer complicações posteriores a aplicação de piercing e tatuagem. As principais questões estão relacionadas no ato, mais especificamente na higiene.

Tatuagens, piercings e a higiene

Antes de fechar negócio com um tatuador ou com um body piercer, é necessário fazer uma pesquisa minuciosa sobre como é feito o trabalho do profissional e do ambiente.

Como explicamos anteriormente, tanto pessoas que sofrem de diabetes quanto aquelas que não sofrem estão sujeitas a riscos, mas em alguns casos de complicações de infecções, para diabéticos a negligência traz consequências ainda piores. Se um indivíduo diabético sofrer uma infecção, a mesma poderá levar mais tempo para ser combatida, especialmente se a glicemia não estiver controlada.

Por isso, é fundamental procurar por um profissional habilitado. Pesquise bastante sobre o seu trabalho, cheque o ambiente e as condições de higiene, e, sobretudo, se os materiais utilizados estão esterilizados. Lembre-se também de verificar se o profissional faz uso de luvas.

Com a glicemia sob controle, os únicos riscos são os mesmos de qualquer pessoa. Quer saber que riscos são estes? Veja a seguir:

Tatuagens:

No geral, os riscos de se fazer tatuagens são:

– Infecções na parte do corpo onde foi feita a tatuagem;

– Risco de reação alérgica aos produtos utilizados nas tintas e nos instrumentos;

– Contaminação de Hepatite B e C, HIV, dentre outras doenças contagiosas; por conta da higiene das agulhas e tintas.

Aplicação de piercings:

Já no caso de aplicação de piercings, a situação já é um pouco diferente, apresentando riscos reais. Isso não quer dizer que pessoas diabéticas não podem fazer uso de piercing. Elas podem fazer uso do acessório em qualquer parte do corpo (orelha, nariz, língua, lábios, áreas íntimas etc), mas estão sujeitas aos riscos. São eles:

– Desenvolver cicatrizes permanentes ou queloides na área onde o piercing foi colocado;

– Em caso de glicemia elevada, o piercing levará mais tempo para cicatrizar. O problema na demora da cicatrização é que aumenta-se as chances de desenvolver infecções.

Além destes dois riscos, há também as mesmas complicações no caso de tatuagens.

Agora que você sabe que a história de que diabéticos não podem se tatuar e usar piercings é um mito, sinta-se à vontade para dar um “up” no seu visual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *