Diabetes emocional é verdade?

Uma pergunta que gera bastante controvérsia: A Diabetes emocional é uma doença de verdade?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, a Diabetes Emocional não é uma doença. Oficialmente, existem três tipos de diabetes, que são: Diabetes tipo I, diabetes tipo II e diabetes gestacional. Além destes três tipos, também é possível desenvolver a doença por meios genéticos, hormonais e pancreáticos.

Em outras palavras, a diabetes emocional não se trata de um diagnóstico da doença propriamente dita, no entanto, as emoções que sentimentos, sejam elas positivas ou negativas, podem influenciar no desequilíbrio do nível de açúcar presente no sangue. Ou seja, em casos de predisposição ao surgimento da diabetes, o fator emocional pode ser sim o fator do seu desencadeamento.

Além dos nossos sentimentos, a diabetes emocional pode ser desencadeada por complicações de ordem psíquica, mas isso, no entanto, somente ocorre em quem apresenta alguma predisposição genética.

É válido ressaltar que, nossos sentimentos positivos e negativos, podem acarretar não só a diabetes emocional, mas também a diabetes do tipo I e II.

Diabetes emocional requer tratamento psicológico?

Em todos os casos onde a diabetes emocional for desencadeada por questões emocionais, se faz necessário cuidar do lado psíquico.

O indivíduo precisa obter, na medida do possível, uma vida equilibrada. Para isso, é necessário autoconhecimento e até mesmo mudanças em como as pessoas agem a certas situações e problemas. Para isso, é fundamental que se tenha a presença e o acompanhamento de um psicoterapeuta. E é claro, também é essencial o tratamento médico da “doença”.

O que pode ajudar no controle da Diabetes Emocional?

Exercícios simples como meditação, prática de esportes e exercícios físicos, relaxamento e toca de instrumento auxiliam na liberação dos sentimentos reprimidos de uma pessoa.

Afinal, passar por cima de problemas e sentimentos de estresse são prejudiciais à saúde. É necessário sentir estas tensões, para que depois elas sejam liberadas. Em outras palavras, devemos encarar tudo aquilo que nos aborrece, para não ir acumulando e adoecendo o corpo.

Dicas para lidar com o estresse

– Manter-se emocionalmente equilibrado e contar com o apoio da família e amigos;

– Em momentos de estresse, lidar bem com a respiração. O ato de respirar fundo, por exemplo, auxilia bastante;

– Ter força de vontade e motivação pessoal;

– Praticar exercícios físicos com regularidade;

– Ter uma boa alimentação saudável;

– Fazer a automonitorização do nível de glicemia;

– Fazer a medicação nos horários corretos.

Conclusão

Apesar de não ser considerada oficialmente uma doença, a diabetes emocional pode afetar qualquer pessoa que não saiba lidar bem com suas emoções e que não possua uma condição genética muito favorável.

O modo como encaramos as situações do nosso dia-a-dia são elementos primordiais para a prevenção desta “doença”. Sendo assim, é fundamental estarmos sempre com pensamentos e atitudes positivas, tendo uma boa e movimentada rotina (conforme explicado no tópico anterior), além de ter uma boa relação familiar. Afinal, quando falamos em saúde, não estamos nos referindo somente ao nosso corpo, mas também à mente.

Uma resposta para “Diabetes emocional é verdade?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *