Cardápio perfeito para controlar a insulina

Se você sofre de diabetes, provavelmente você tem certa dificuldade em manter a sua alimentação restrita, não é mesmo? A tentação é forte e requer muita força de vontade.

Além da boa alimentação, o diabético deve também adotar novos hábitos saudáveis, como a prática regular de exercícios. Em relação aos exercícios, talvez a dificuldade seja menor. Já em relação a alimentação, o problema é um pouco maior.

O diabético deve ter um controle da insulina, e muita gente apesar de ser portador da doença, não sabe como controlá-la. O acompanhamento médico no diabetes se faz fundamental, para avaliar os riscos do organismo e a avaliação de possíveis mudanças no estilo de vida/alimentar.

Mas, você sabe como deve ser o cardápio de alguém que possui resistência à insulina?

Se a sua resposta é não, saiba que não há a necessidade de eliminar todos os carboidratos, e sim fazer a combinação dos mesmos com pequenas porções de hidratos de carbono com produtos ricos em proteínas, como: Peixes, lacticínios, nozes e ovos; em cada refeição.

Estas combinações alimentares garantem que o organismo possuam pequenas quantidades de hidratos de carbono, que são altamente eficazes na regularização da insulina, enquanto que as proteínas por sua vez, ajudam na finalidade da manutenção completa do organismo e ao fornecimento dos nutrientes fundamentais, como cálcio, ferro e gorduras benéficas.

Ao longo prazo, o cardápio para quem tem resistência à insulina encontra-se no plano de calorias contidas, com níveis contidos de proteínas e carboidratos.

A seguir, veja algumas dicas de cardápio de como seguir uma dieta para controlar a insulina.

Café da manhã: Coma leite e cereal. Outra opção são frutas, com queijos ou biscoito.

Almoço: Sanduíche de atum ou presunto em pão estaladiço.

Sobremesa: Iogurtes naturais, frutas e até mesmo 20 g de chocolate meio amargo (diet).

Chá da tarde: Barra de cereais.

Jantar: Salada, bife de atum ou massa de atum.

Dicas alimentares para controlar a insulina

Um cardápio com poucos carboidratos e quantidade moderada de gordura e proteínas auxilia – e muito – o tratamento dos efeitos da resistência da insulina, bem como a síndrome metabólica. Portanto, se você sofre com o controle da insulina, saiba que o cardápio recomendado acima não basta.

Confira a seguir algumas dicas:

– Troque os carboidratos processados e refinados como arroz branco, pão branco, massas tradicionais e açúcar por suas versões integrais.

– Evite o consumo de bebidas alcoólicas e refrigerantes, que contam com uma grande quantidade de açúcar refinado. Sucos de saquinho e de caixinha também devem ser evitados.

– Reduza a sua ingestão de batatas, principalmente batatas fritas, pois elas trazem um nível de glicemia altíssimo e podem comprometer o controle da insulina. É possível fazer a substituição da batata pela batata doce, que é benéfica e livre dos altos índices glicêmicos.

– Consuma vegetais sem amido. Isso porque eles possuem um baixo índice de glicemia e são saudáveis para os diabéticos que têm dificuldade em controlar a insulina. Dentre os vegetais que o consumo é indicado, estão: Aspargo, brócolis, abacate, couve-flor, legumes em geral, amendoim, soja, ervilha e feijão.

É válido ressaltar que gorduras saturadas de fontes vegetais como o coco, por exemplo, também são grandes aliados. Além do mais, é indicado que seja consumida porções mínimas de carboidratos, que casem com as proteínas e gorduras. Também é recomendado que os coma em pequenas quantidades ao longo do dia, ao invés de uma grande porção em uma única refeição.

Carboidratos bons e carboidratos ruins

Conforme já explicado, a substituição dos carboidratos processados e refinados pelas suas versões integrais irão te ajudar com o controle da insulina, pois os alimentos integrais não processados possuem baixos índices glicêmicos.

Os carboidratos refinados e o açúcar (que também se encaixa na categoria) são encontrados em doces, bebidas alcoólicas e refrigerantes devem ser banidos no caso das pessoas que sofrem de resistência à insulina.

A dica está na ingestão dos carboidratos. Ou seja, não se trata apenas dos carboidratos que você ingere, mas o quanto se ingere.

Não coma grandes quantidades de carboidratos isoladamente dos demais alimentos, e sim pequenas porções de carboidratos no decorrer do dia, por meio de porções moderadas de gorduras benéficas e proteínas. Faça a divisão dos carboidratos no decorrer do dia, de modo a auxiliar a regularização dos níveis de açúcar na corrente sanguínea e insulina.

A cafeína e a insulina

A cafeína conta com benefícios relacionados a insulina. Isso porque ela ajuda na melhora da circulação, reflexos e auxilia até mesmo na concentração. Apesar de algumas pesquisas apontarem que a cafeína contribui para o desenvolvimento do diabetes, foi descoberto que os voluntários que ingeriram doses regulares de cafeína sofriam uma elevação da sensibilidade à insulina.

Os resultados mostraram-se preocupantes, pois o risco do desenvolvimento da doença está ligado ao grau de resistência à substância do corpo.

 

 

Isso é preocupante, porque seu risco de diabetes está diretamente relacionado ao grau de resistência a insulina do seu corpo.

Exercícios físicos benéficos para o controle da insulina

A prática de atividades físicas regulares também pode auxiliar na regularização dos níveis de insulina do organismo. A razão está ligada à melhora dos índices de glicose na corrente sanguínea.

Na medida em que o tempo passa, os exercícios ajudam a prevenir ou tratar o diabetes tipo 2. Além do mais, uma das principais vantagens da prática de exercícios está ligada à estética, na perda saudável de peso.

A sugestão é a prática de 30 minutos de exercícios diários. Mas, se você não está adaptado (a) a esta rotina, a recomendação é de quatro vezes por semana. Na medida em que você aumentar a sua resistência, você conseguirá se exercitar por mais tempo e por mais dias.

Atividades físicas de baixo impacto como a caminhada ou corrida, andar de bicicleta, natação e aeróbica são altamente seguros e saudáveis para todos. Já exercícios como Pilates e ioga, também proporcionam altas vantagens, e podendo contribuir para a melhora do controle insulínico ou síndrome metabólica.

2 respostas para “Cardápio perfeito para controlar a insulina”

  1. Minha glicose está em 107 e a insulina em 37. Pela primeira vez na vida está situação me ocorreu. Fiz regime e caiu para 95 a glicose e 24 a insulina. Mas fiquei doente e tive que tomar vários medicamentos e os índices acima voltaram a me assombrar. Gostei imensamente do artigo, mas gostaria de receitas para que não fique muito ruim a dieta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *